01
Dezembro
2022
|
14:31
America/Halifax

Willemstad: um vibrante patrimônio mundial da UNESCO

Gislainne Maria

Bem-vindo(a) a Willemstad! Willemstad é a capital de Curaçao, um pequeno país insular no sul do Mar do Caribe. Esta capital é caracterizada por sua arquitetura monumental vibrante e colonial. A área histórica de Willemstad não é apenas esteticamente agradável e totalmente instagramável, mas também é o local dos sonhos de todos os entusiastas da arquitetura.

Devido à sua história arquitetônica única e histórico cultural, em 1997, Willemstad foi listada como Patrimônio Mundial da UNESCO. Willemstad é uma das 5 capitais do Caribe nesta lista. O dia 4 de dezembro de 2022 marca os 25 anos de Willemstad sendo inscrito nesta prestigiosa lista. Continue lendo para descobrir o que torna Willemstad um local local arquitetônico e histórico único que você deve visitar pelo menos uma vez (ou duas vezes) em sua vida.

Uma breve história de Willemstad

O desenvolvimento e a arquitetura da cidade têm origem na expansão da Europa nos séculos XV e XVI. Isso se reflete no planejamento urbano e na arquitetura de estilo colonial da cidade do período da expansão holandesa. Grandes partes da estrutura urbana e paisagem urbana histórica de Willemstad permanecem intactas e reconhecíveis até hoje. Estes provaram ter sobrevivido a mais de 3 séculos de constante desenvolvimento e mudança. Ao longo dos séculos, muitos fatores afetaram a estrutura urbana de Willemstad. A histórica Willemstad sobreviveu a incêndios destrutivos, inovações no planejamento urbano que levaram à construção de estradas pela cidade e desenvolvimentos industriais que levaram à adaptação radical do propósito tradicional das propriedades históricas.

No entanto, a arquitetura original de Willemstad é excepcionalmente bem preservada, com muitos monumentos sendo autênticos em design, materiais e artesanato. Muitos becos estreitos ainda estão intactos e os nomes originais das ruas ainda estão em uso. Devido à durabilidade e preservação da estrutura urbana e da arquitetura da cidade, Willemstad serve como um mapa para entender o desenvolvimento histórico e social da cidade e sua continuidade ao longo dos séculos. Os elementos críticos que foram reunidos para construir a área histórica de Willemstad formaram e continuam sendo um conjunto único que ilustra o crescimento orgânico da cidade como uma comunidade multicultural.    

A arquitetura de Willemstad ao longo dos anos

Willemstad cobre 190 hectares e consiste no porto natural de águas profundas chamado Baia de Santa Anna e 4 distritos: Punda, Otrobanda, Pietermaai e Scharloo. A arquitetura desses distritos reflete uma mistura de arquitetura holandesa, caribenha, africana, espanhola e portuguesa. Mais de 700 edifícios em Willemstad são monumentos protegidos, o que representa cerca de 50% de todos os edifícios no centro da cidade de Willemstad. Cerca de 90% das propriedades em Willemstad são de propriedade privada e o restante é propriedade do governo ou de organizações afiliadas ao governo. A área histórica de Willemstad se assemelha esteticamente a um centro comercial colonial fortificado holandês com fortes influências caribenhas. Willemstad é um exemplo único de um assentamento relativamente pequeno que era murado (Punda) e indefeso (Otrobanda).

A arquitetura de Willemstad começou com a importação direta de estilos e materiais holandeses. Gradualmente, a área desenvolveu seu próprio estilo único. Os edifícios do século XVII no distrito de Punda tinham um estilo tradicional holandês com dois ou mais andares de tijolos com fachadas altas e empenas triangulares.

No século XVIII foram introduzidas galerias de madeira e pedra nos edifícios. Nesse mesmo século, desenvolveu-se o estilo barroco de Curaçao, caracterizado por fachadas de formas variadas, sendo a empena curva a característica comum. Como os prédios nos distritos de Otrobanda e Scharloo foram construídos em terrenos mais espaçosos, alguns edifícios desses distritos têm fachadas luxuosas em todos os lados dos edifícios. Vários bons exemplos do estilo barroco de Curaçao podem ser encontrados nesses distritos. Esses lotes agregam muito verde à cidade.

No século 19, um estilo arquitetônico mais simplista ganhou popularidade em Willemstad. As fachadas curvas foram substituídas por outras retas. As galerias agora estavam sendo incorporadas às fachadas das casas. Bons exemplos desse estilo arquitetônico podem ser encontrados nos distritos de Otrobanda e Pietermaai.

Baía de Santa Anna

O desenvolvimento de Willemstad começou em 1634, quando os holandeses estabeleceram um acordo comercial em torno do porto da Baía de Santa Anna. Desde então, Willemstad é considerada uma cidade portuária histórica. A Baía de Santa Anna continua sendo um porto ativo até hoje. A entrada da baía era protegida por fortificações em ambos os lados, um forte no distrito de Punda chamado Fort Amsterdam e um forte no distrito de Otrobanda chamado Rif Fort. Esses fortes estão bem preservados e permanecem intactos até hoje. No lado de Punda, a fortificação no litoral é seguida de perto pelo colorido e icônico Handelskade, que é a contraparte tropical das casas holandesas do canal.

Da Baía de Santa Anna, os estabelecimentos faziam comércio com colônias de vários países europeus. Isso levou à troca de estilos e elementos arquitetônicos. Elementos judaicos também podem ser observados em Willemstad, devido ao estabelecimento de muitos judeus sefarditas em Willemstad no século XVIII. As visíveis influências africanas de Willemstad são resultado de Curaçao ser o centro do comércio de escravos em um ponto. Os vários estilos e influências arquitetônicas usados ​​foram combinados e adaptados para se adequar ao clima quente do país. As influências climáticas rapidamente levaram ao desenvolvimento de um estilo arquitetônico local único.

Os 4 distritos

O primeiro dos 4 distritos de Willemstad a ser desenvolvido foi o lado leste da Baía de Santa Anna, conhecido como Punda. O desenvolvimento dos outros 3 distritos (Otrobanda, Pietermaai e Scharloo) ocorreu nos séculos XVIII e XIX. Cada distrito tem suas próprias características distintas resultantes do uso de diferentes conceitos de planejamento urbano ao longo dos anos, mas os distritos compartilham a característica comum de serem a representação de uma colorida versão caribenha da arquitetura europeia – especialmente holandesa. Os distritos de Willemstad são conectados pelas águas naturais da Baía de Santa Anna e Waaigat, o que contribui para uma paisagem urbana ainda mais emocionante e pitoresca, composta por fachadas coloridas ao longo da costa.

Distrito #1: Punda

A construção do Fort Amsterdam em Punda em 1634 marcou o início do desenvolvimento de Willemstad. Punda era originalmente um distrito murado com um padrão de grade ortogonal. No século 18, Punda tinha muitas propriedades residenciais. As paredes ao redor de Punda acabaram sendo demolidas em 1866, após mudanças na estratégia militar. Um destaque deste distrito é a Sinagoga Mikvé Isreal-Emanual construída em 1732. Esta sinagoga é mais antiga em uso contínuo nas Américas.

Distrito #2: Otrobanda

Otrobanda foi o segundo distrito de Willemstad a ser desenvolvido e está localizado no lado oeste da Baía de Santa Anna. Como Otrobanda não era um distrito murado como Punda, se desenvolveu inicialmente em uma coleção de edifícios separados em lotes espaçosos que se assemelhavam a casas de plantação. Mais tarde, esta parte da cidade desenvolveu-se em parte como um bairro da classe trabalhadora com mais densidade e pequenos becos.

Distrito #3: Pietermaai

Pietermaai foi desenvolvida nos séculos 18 e 19 e foi colonizada por ricos comandantes de navios, comerciantes e administradores holandeses. É caracterizada por um desenvolvimento linear de luxuosas mansões coloridas ao longo da costa.

Distrito #4: Scharloo

O quarto e último distrito de Willemstad a ser desenvolvido foi Scharloo. No início, Scharloo era uma área de plantação, mas depois foi transformada em um distrito residual para ricos comerciantes judeus.

A arquitetura de Willemstad é tão única quanto sua história. Esta cidade, Patrimônio Mundial da UNESCO, preservou uma quantidade impressionante de suas estruturas originais ao longo dos séculos, incluindo muitos elementos arquitetônicos autênticos. O que começou como uma pegada das tradições holandesas de planejamento e arquitetura, cresceu e se tornou uma cidade caribenha culturalmente dinâmica, deslumbrante e colorida que conta sua intrigante história por meio de sua arquitetura.